Injeção letal teria causado morte de menino no Norte do RS

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

Delegada relatou que pai e madrasta reagiram com frieza ao saber da morte da criança

Publicado em 15/04/2014


O menino Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, encontrado morto em Frederico Westphalen, no Norte do Estado, teria sido assassinado com uma injeção letal. A informação foi fornecida pela titular da Delegacia de Polícia de Três Passos, delegada Caroline Bamberg Machado, em coletiva à imprensa nesta terça-feira. A hipótese, no entanto, só poderá ser confirmada por meio da necropsia.

Caroline relatou que o caso corre em segredo de Justiça e lamentou o fato de não poder esclarecer todas as questões. "Não podemos dar todos os detalhes não apenas pelo segredo de Justiça, mas porque estamos no meio da investigação. Precisamos produzir provas para poder elucidar cada pedaço da história. O que podemos dizer é que o casal (pai e madrasta) reagiu com frieza ao saber da morte do Bernardo", recordou.

Conforme a delegada, a madrasta de Bernardo foi multada por alta velocidade enquanto seguia para o município de Tenente Portela. "Ela estava com o menino no momento do flagrante na estrada", completou Caroline. A madastra e o pai  foram presos logo após o corpo da criança ser localizado. A prisão foi cautelar para realização das investigações.

Peça fundamental do caso

De acordo com a delegada Caroline, a Polícia Civil ainda investiga a participação de uma amiga da madrasta de Bernardo no crime. Segundo ela, a mulher foi fundamental para que o corpo do menino fosse encontrado. "Logo após a prisão do pai e da madrasta, nós não fizemos o interrogatório por conta do choque de todos com o caso. Depois, ao encontrar esta terceira pessoa, nós descobrimos outros detalhes do crime. Ela foi procurada e sensibilizada para falar. A partir disso, ela nos deu a localização do corpo do Bernado", observou.

A primeira versão sobre o caso aponta que antes de desaparecer, Bernardo teria ido à casa de um amigo, mas a Polícia Civil tem a informação de que o menino teria participado de uma festa. "Eles (pai e madrasta) registraram o desaparecimento no domingo, mas a festa teria ocorrido no sábado, ou seja, não teriam como saber que o menino estava desaparecido. Isto está sendo investigado e temos um trabalho árduo pela frente. É o inquérito mais complexo que nós já trabalhamos", disse Caroline Bamberg.

O corpo de Bernardo, que estava desaparecido desde 4 de abril em Três Passos, foi localizado na noite dessa segunda-feira pelos bombeiros em um matagal. De acordo com Caroline, a Polícia Civil sempre trabalhou com três linhas de investigação, mas, com o decorrer do tempo, a única possibilidade que restou era de assassinato. "Trabalhávamos com sequestro, desaparecimento por conta própria e homicídio. Mas, pela nossa experiência, nós tínhamos a noção de que dificilmente encontraríamos o menino com vida", explicou.

Foto: André Piovesan/ Folha do Noroeste
Fonte: Correio do Povo

Interação de massas de ar quente e frio mantém chuva sobre o Estado até terça-feira
Risco de que doença chegue ao Brasil permanece “baixíssimo”, diz ministro da Saúde
Colisão entre Brasília e Celta ocorreu no município de Marques de Souza